sábado, 26 de agosto de 2017

LANÇAMENTOS DA KIMERA QUADRINHOS


Criada em 2011, com o principal objetivo de publicar obras de autores independentes com qualidade gráfica, a Editora Kimera aposta agora em uma linha de publicações de histórias em quadrinhos com super-heróis brasileiros. As revistas escolhidas para iniciar esta linha de publicações são CAPITÃO R.E.D. e LAGARTO NEGRO, com lançamento marcado durante a Bienal do Livro 2017 no Riocentro.

DIA PARA AUTÓGRAFOS

Os autores Elenildo Lopes e Gabriel Rocha estarão autografando as revistas CAPITÃO R.E.D. e LAGARTO NEGRO nos dias 01 e 09 de setembro, às 13h e 14h no Estande P16 localizado no Pavilhão Verde da Bienal do Livro.

OS PERSONAGENS

CAPITÃO R.E.D - O policial Ellano foi escolhido para comandar o Distrito de Emergência e Risco assumindo a identidade de CAPITÃO R.E.D. Trata-se de um programa em parceria do governo do Estado do Rio de Janeiro com a ONU para combater o crime na região.

LAGARTO NEGRO - LAGARTO NEGRO mantém sua identidade real em segredo. Recrutado por uma ONG, ele trabalha num projeto privado de combate ao crime organizado nas ruas do Rio de Janeiro.

OS AUTORES

Gabriel Rocha começou a publicar seus quadrinhos em jornais de bairro da cidade de Niterói, entre 1992 e 1993. Chegou a ilustrar matérias para o Jornal do Brasil antes de se voltar para o trabalho com animações na área do EAD e e-learning. Criou o personagem LAGARTO NEGRO, um super-herói brasileiro, que comemora 20 anos em 2018 com o planejamento de publicações através do selo de quadrinhos da Editora Kimera.

O publicitário e ator Elenildo (Elyan) Lopes iniciou com os quadrinhos em 2007, criando um site voltado ao tema:www.meuheroi.com.br.Em 2012, o site virou selo editorial com o lançamentoda revistaCAPITÃO R.E.D. nas bancas e lojas do Rio de Janeiro e Região metropolitana. Recebeu o Prêmio da Academia Brasileira das Histórias em Quadrinhos (ABRAHQ) e um Troféu AngeloAgostinecom o lançamento da História em Quadrinhos Protocolo: A Ordem.

AS REVISTAS


Lagarto Negro Especial – 36 páginas, em cores, formato 17cm x 26cm (formato americano), papel couchê.


Capitão R.E.D. Especial – 36 páginas, em cores, formato 17cm x 26cm (formato americano), papel couchê.



Página oficial da Editora Kimera: http://www.editorakimera.com

sábado, 17 de junho de 2017

Dados de Tiragens de Quadrinhos no Brasil



Já faz algum tempo que este blog publica indícios das tiragens dos gibis publicados no Brasil. Indícios, porquê estes números não costumam ser expostos com clareza.

Em dezembro de 2016, o site Planeta Gibi publicou uma matéria muito interessante pertinente ao tema. Selecionei algumas informações que merecem destaque:

"o Almanaque Abril listava anualmente as revistas com maiores vendas e maiores tiragens (ou seja, a quantidade de exemplares impressos, mas não necessariamente vendidos). A fonte era o IVC, instituto criado exatamente para auditar esses números e dar credibilidade aos anúncios feitos pelas editoras."

A matéria afirma que selo do IVC (Instituto Verificador de Comunicação, antigo Instituto Verificador de Circulação) consta do expediente da revista quando esta é auditada pelo instituto.

Segue o link para a matéria com as tiragens de algumas revistas de Histórias em Quadrinhos em 2015:

http://www.planetagibi.com.br/2016/12/tiragens-e-vendas-de-hqs-no-brasil.html

quarta-feira, 17 de maio de 2017

Primeiro super-herói brasileiro

Sobre o personagem Oscar, criado em 1908 por Gustavo Barroso sob o pseudônimo de ‘João do Norte’. Algumas pessoas querem discutir se o Oscar é o primeiro super-herói brasileiro. E fica a pergunta: por que não? A negativa parte do fato de se acreditar que o gênero nasceu com o Superman, então o "super" da expressão "super-herói" se destina apenas aos personagens criados depois, como o Batman... não vou discorrer para como seria inapropriado incluir personagens sem os tais super poderes para dentro do gênero, pois eles de fato já estão lá e isso aponta a elasticidade da classificação.

Bom, o termo "super-herói", assim como a expressão "superman" são na verdade adjetivos de um personagem da literatura dos pulp fictions que antecede ao último kriptoniano. O the Phantom, do Lee Falk é um personagem do gênero super-herói, ninguém duvida, e é anterior ao Superman. O mesmo vale para o Crinson Avenger, um personagem nos moldes dos pulps fictions mais populares e considerado por alguns como o primeiro super-herói da DC Comics.

Muitos dos personagens criados para pulp fiction ganharam versões posteriores para HQ, e são conhecidos como arte do gênero dos super-heróis. Ora, vento que sopra lá, sopra cá também. Se o gênero pode incluir personagens criados antes do Superman, então está morta qualquer tentativa de se descartar a classificação do Oscar como super-herói. Seria o fim do meu texto, se eu não tivesse uma preferência pessoal em incluir o Dr. Alpha nesta classificação. Dr. Alpha é criação de Oswaldo Silva, publicado em 1905 na revista Tico-Tico. Eis aí o grande precursor:


A indumentária espacial, assim como as capas e cuecas por cima das roupas apertadas que vemos em Flash Gordon, parece ditar a regra no gênero dos super-heróis até hoje. Só que o Dr. Alpha já apresentava algumas dessas características décadas antes.

domingo, 30 de abril de 2017

ALFA - A Primeira Ordem será publicado pela Editora Kimera

O projeto que reunirá diversos super-heróis brasileiros em uma única aventura encerrou sua campanha de financiamento coletivo no Catarse. A campanha arrecadou R$ 12.881,00, que alcança 64% da meta original de R$ 20.000,00 necessários para as despesas com equipe criativa, recompensas, correios, impressão e taxa do Catarse. Uma parceria firmada com a Editora Kimera permitirá que a edição torne-se realidade.


O sucesso da campanha se deu pelo envolvimento dos parceiros que acreditaram no projeto: Redzero, Oracullo, O Vício, Catarse, Naipe Moda Rio, Vinicius Danthas Video maker, Vinny Raw, Rio Comics, Reboot, GeekBlast, Carvalho News, Raio X, Eduardo Eduardo Marchiori, Bacon Side, Studio Marcio Abreu Online, PL ARTES - Pedro Lucas; e também pela boa interação entre os autores dos personagens participante, mas principalmente pelos apoiadores que acreditaram na ALFA - A Primeira Ordem via Catarse! Reafirmo o agradecimento ao Marcelo Tiburcio Vanni, por acreditar no projeto!


Fiquem de olho no andamento do projeto através da página oficial no facebook: https://www.facebook.com/ALFASUPERHEROIS

Visite a página oficial da Editora Kimera:http://www.editorakimera.com/

segunda-feira, 17 de abril de 2017

Agradecimento especial

Quero deixar aqui um agradecimento especial ao ilustrador e humorista ex-colaborador da MAD, o autor de quadrinhos e livros infantis como Gino & Polaco, Meu Monarca Favorito e Os Dragõezinhos Imperiais, o Marcelo Tiburcio Vanni. Muitas vezes o verdadeiro apoio vem de onde menos se espera. Marcelo Tiburcio é um daqueles artistas completos que escreve, ilustra, possui domínio verdadeiro das cores, faz tudo muito bem, inclusive a própria divulgação via seu próprio canal de youtube. Foi para este canal de youtube que ele me convidou a dar uma entrevista. Moramos na mesma cidade, mesmo bairro, mas não nos conhecíamos pessoalmente.

Comentei ao Tiburcio sobre meu interesse em que a entrevista destacasse a Alfa A Primeira Ordem, pois o projeto já estava para iniciar a campanha de financiamento coletivo no Catarse. Com a concordância do Tiburcio, levei o responsável pela ALFA, o Elenildo Lopes, para a entrevista. Fomos muito bem recebidos no estúdio do Tiburcio, realizamos a entrevista em conjunto e correu tudo bem! Tiburcio virou uma espécie de amigo instantâneo, e se interessou pela ALFA ao ponto de nos indicar ao seu editor.

A editora acreditou no projeto, fomos negociando ao longo dos meses e agora, se atingirmos 50% da meta, 10 mil reais, a editora se compromete com os outros 50%. Mas mesmo assim estamos com certa dificuldade, pois além da crise econômica atual que o Brasil atravessa a equipe criativa é um investimento alto e as pessoas que investem em Catarse não estão acostumadas a ver o valor de equipe criativa na prestação de contas. A maioria dos projetos do catarse é autoral, nos quais o próprio autor faz tudo ou quase tudo, então é mesmo raro se ver uso do dinheiro na equipe criativa. Mas é um investimento que vale a pena, pois até agora a mesma equipe criativa só rendeu elogios.

A campanha é do tipo FLEX, e não precisa atingir os 100%. Não é tudo ou nada. Estamos com 43% da meta atingidos. Falta pouco mais de mil reais para alcançarmos os 50% necessários, e apenas 4 dias de campanha no Catarse: https://www.catarse.me/alfa

De uma forma ou de outra, deixo meu agradecimento ao Marcelo Tiburcio, um verdadeiro patrono da ALFA, por ter aberto as portas de seu estúdio para esta grata oportunidade que se estende a todos os participantes deste projeto coletivo que tenta reunir e resgatar a memória de alguns dos heróis clássicos brasileiros de sucesso no passado! Muito obrigado!

Acompanhem as tirinhas do Meu Monarca Favorito:
http://meumonarcafavorito.blogspot.com.br/

Acompanhem as tirinhas dos Dragõezinhos Imperiais:
http://dragoezinhos.blogspot.com.br/

E conheçam melhor o Marcelo Tiburcio através desta entrevista de 2010:
http://nagado.blogspot.com.br/2010/07/o-ilustrador-e-quadrinhista-marcelo.html



Álbuns do Gino & Polaco

terça-feira, 31 de janeiro de 2017

A história em quadrinhos mais antiga conhecida

A história em quadrinhos mais antiga da Holanda é uma carta, escrita por Bernhard van Meurs, o Conde de Meurs, sobrinho do duque Charles de Gelre. Na carta, o Conde é prisioneiro e acusa o tio de não cumprir a promessa de pagar o resgate, conforme prometido.

Tratam-se na verdade de duas cartas, a carta da lua de 26 de setembro de 1493, e a carta do queixoso de 22 de novembro de 1493, e em ambas se faz uso de imagens em narrativa visual com artifício de balões.


Não são conhecidas peças com a mesma utilização de ilustrações e texto que sejam mais velhas, e o que torna esta carta especialmente única é o uso de balões. O tamanho dos originais é 62 x 57 cm. Segue uma tradução meia boca, via Google Translate:

"O alto-nascido príncipe, Sir Charles, Duque de Gelderland, Eu deixei Bernhard, jovem conde Meurs saber: desde que eu agora em breve, há dois anos pela persuasão do Vincent bem-nascidos, Conde de Meurs, meu querido avô, aqui ter colocado em cativeiro para o seu culto como refém por uma soma muito grande de dinheiro, qual você está despedido o seu cativeiro, e desde que seu culto prometi a mim mesmo na presença de pessoas piedosas e sua mão sobre ela fez, para me salvar prazo de dois meses após o que se tornar disponível novamente para aqui em pessoa, que então não é que você tem feito, embora eu muitas vezes pedi por escrito ao seu culto e pedi para ser autorizado a ser demitido, mas vós fizestes até agora nenhum movimento, o que é estranho e ultrajante o suficiente para dizer, e o que eu não você esperava, portanto, escrever e lua agora eu posso usar esta carta aberta uma vez por todas, que você de sua obrigação me satisfaz e no prazo de seis semanas de esta carta libertado aqui e descartar fora do meu custo, sem mais demora, se você possui pessoa novamente dentro desse prazo se juntou aqui e trabalhei minha libertação, como eu prometi isso e prometeu batalha lado, então eu não teria que reclamar sobre você. Peronne escrita, na prisão, no dia 26 de setembro. Para sancionar isso eu colocar meu nome pessoal aqui. Anno 1493.

...................................................................

Deve-se saber que este aviso não era para ajudar ou benefícios. Portanto, escrevo, reclamar e desenho como segue.

Nós, Charles, Duque de Gueldres, prometemos entregar Bernhard, jovem conde Meurs, e liberar dois meses depois de voltar ou se juntar a nós nesta prisão.

Aqui vou eu e se misturam, Bernhard, jovem conde me Meurs ao cativeiro, e o Duque de Gelre indo em sua promessa que me fez olhar.

Eu, Bernhard, jovem conde Meurs, escrevo, pregando e queixo-me, que eu sou fora do favor especial como um amigo nascido no penhor de Duke Charles de Guelders refém e cativeiro ter ido para ele nas mãos do Sr. Cordes de tal forma que o duque de Gelderland iria me salvar prazo de dois meses depois, ou se voltaria para o cativeiro, onde a batalha mão, em vez de uma cama, eu prometi e verbalmente prometeu a promessa que não cumpriu, apesar muitos pedidos, até o segundo ano já terminou, então eu também dele com a minha carta aberta lua observou escrito e pediu para tornar-se disponível e para me libertar, como havia prometido e evento muito atrasada, que tudo o que ele tem batido pouco oito e ele tem pouco para atrair, e é por alguém para alienar a maior parte de seu nome de família e que ele era um tal disposição e fraqueza preza, e que a grande lealdade e amizade, que pode ser difícil em outros lugares maiores não foi achado mover para me entregar a ele, e ele finalmente chegou que eu tenho que escrever sobre ele vergonhosa, mal e desonrosa, falando e desenho, por isso peço a todos os príncipes, condes, senhores, cavaleiros e cidades em que posição em que estão, ou notificar duque acima mencionado e chamar a atenção de que sua honra deve se lembrar de manter sua promessa e livra-me, para que eles me ajudaria pobre prisioneiro. Isso eu gostaria de recompensar cada homem um favor em troca. E descrito em Péronne em cativeiro depois de 22 de novembro de 1493."

Saiba mais em: https://www.lambiek.net/dutchcomics/1800.htm

Gostou dessa? Comente!

Ângelo Agostini e Sebastien Auguste Sisson



Em 2012 foi lançado o primeiro volume de A História da Caricatura Brasileira, um ambicioso projeto editorial de Luciano Magno para mapear o gênero da arte de caricaturas no Brasil. Este estudo aponta precursores para o que hoje convencionou chamar de arte sequencial, revelando que em 15 de outubro de 1855, o francês Sebastien Auguste Sisson publicou no Brasil o que agora é atribuída como sendo a primeira história em quadrinhos brasileira, chamada "O Namoro, Quadros ao Vivo". Christian Sisson, o tataraneto do artista, resgatou a memória das realizações de seu ancestral com material preservado por meio do Instituto Sisson. Este material foi organizado em amostra e exposto na 1ª BIENAL INTERNACIONAL DA CARICATURA - BRASIL, no bairro da Lapa - RJ, local de residência deste precursor das histórias em quadrinhos no Brasil.

A três décadas atrás não se tinha este conhecimento. Quando a Associação dos Quadrinhistas e Caricaturistas do Estado de São Paulo (AQC-ESP) instituiu o 30 de janeiro como sendo o Dia do Quadrinho Nacional, no ano de 1984, estimava-se que Ângelo Agostini, um italiano radicado no Brasil, seria o pioneiro das histórias em quadrinhos no Brasil com a publicação da série "As aventuras de Nhô-Quim ou Impressões de uma Viagem à Corte", no jornal carioca "Vida Fluminense" no ano de 1869. Esta iniciativa da AQC-ESP foi então um início de uma jornada de pesquisas que tornaram o assunto cada vez mais interessante para os entusiastas da chamada "Nona Arte".


SAIBA MAIS:

1a BIENAL INTERNACIONAL DA CARICATURA - BRASIL: https://www.facebook.com/permalink.php?story_fbid=138812022955938&id=124814881022319

Luciano Magno lança catálogo da 1ª Bienal Internacional da Caricatura - Brasil: http://www.cartacapital.com.br/cultura/catalogo-da-bienal-de-caricatura-refaz-percurso-de-um-genero-3708.html

Dia do Quadrinho Nacional: http://www.universohq.com/universo-paralelo/dia-do-quadrinho-nacional-ou-dia-nacional-dos-quadrinhos/

As Aventuras de Nhô Quim ou Impressões de uma Viagem à Corte, no jornal Vida Fluminense: http://www.universohq.com/noticias/quadrinho-nacional-comemora-145-anos-hoje/

AQC-ESP (Associação dos Quadrinhistas e Caricaturistas do Estado de São Paulo): http://aqcsp.blogspot.com.br/

INSTITUTO SÉBASTIEN SISSON: http://sebastiensisson.org
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...